Um quebra-cabeça da moléstia.
jan09

Um quebra-cabeça da moléstia.

Meus amigos tricolores, mal começou o ano e a temporada futebolística bate à nossa porta. O desejo de voltar ao Arrudão e celebrar o nosso Santinha está agitando o coração de todos. Como estou de férias em janeiro, é preciso muito engov e epocler para aguentar a pressão. E muito coração para o que estar por vir nos gramados. Os meninos do sub-20 podem ser uma esperança para montarmos uma base caseira e eficiente. Basta de contratações absurdas que não trazem nenhum acréscimo ao elenco. O exemplo foi a integração de Léo Cotia ao elenco profissional. Daí essa eterna discussão sobre a construção de um CT. É algo tão fundamental como um bom tira gosto na mesa de bar para acompanhar o chopp. Particularmente, ainda não consegui visualizar qual será a cara do Santa Cruz no Pernambucano. Não é fácil construir uma identidade do nada, do quase zero. Creio que os primeiros jogos servirão mais para arrumar a casa e construir, aos poucos, nossa identidade futebolística. Eutrópio já começou com os treinos técnicos. É muita cara nova: Júlio César, Vítor, Thomás, Éverton Santos, Barbio, David, Jaime, Primão e por aí vai. Mesmo que conheçamos esses jogadores de outros clubes, apenas quando o time se acertar em campo sobre o comando do nosso treinador é que teremos uma ideia do que está por vir. Futebol é um esporte coletivo. A época dos barbas se foi. Agora, só no carnaval lá no Poço da Panela. O quebra-cabeça se complica quando o assunto é transparência, gastos e dívidas do clube. Acredito que só pode ser cobrado do torcedor uma participação efetiva quando estes itens forem esclarecidos. Não me parece uma boa idéia ficar dando dinheiro para um grupo que, sinceramente, não sei onde vão colocar essa grana. Enriquecer marmanjo na moleza não é algo que me interessa. Outro ponto neste início de temporada é o campeonato pernambucano que é pra lá de estranho. Joga-se com alguns times para, depois, entrarem os “grandes”. Haja paciência para retornar aos estádios. De uma coisa eu não abro mão: ser um otimista realista. Torcer por um time de futebol que desde sempre nada em dívidas não é para qualquer um. Contudo, ser passivo e não criticar o que tem de ser criticado é alienação. Paixão e razão são dois ingredientes essenciais no futebol. Por fim, não vejo a hora de voltar ao Arruda, comer aquele velho cachorro-quente, tomar aquele velha cerveja e gritar feito um louco na hora do gol. Santa Cruz de corpo e...

Read More
Feliz 2017 para nós
jan02

Feliz 2017 para nós

2016 já era. Foi embora sem deixar muitas saudades. Bem que podia ter acabado no primeiro semestre. Ganhamos o estadual e a inédita Copa do Nordeste, mas terminamos na pindaíba de sempre. Dívidas, cesta básica, essas coisas que nunca saem do Santa Cruz. Chegou 2017. Quem venha cheio de felicidades nas cores preta-branca-vermelha. Desejamos: – mais uma taça do campeonato Pernambucano; – o bicampeonato do Nordeste; – o acesso a Série A; – o título da Copa do Brasil; – ganhar a Sulamericana; – acertos na maioria das contratações; – que peladeiros do nível de Allan Vieira, Márcio Araújo, Pisano e outras desgraças, não venham para o Santa Cruz; – aumento no quadro de sócios; – o Arruda limpo e cheiroso; – o salário dos funcionários em dia; – o salário dos jogadores em dia; – a torcida lotando o Arruda e sendo bem tratada na entrada do estádio; – o gramado sem buracos; – uma porra de um centro de treinamento; – transparência nas contas; – prestação de contas da Comissão Patrimonial; – não vermos cambistas vendendo ingressos de sócios; – um placar no estádio; – etc. Sim, e também,  muita saúde e dinheiro no bolso....

Read More