O sabbath das bruxas.

A palavra sábado, no idioma português, advém do latim sabbatum que é uma derivação do hebraico Shabat. É o dia de descanso dos judeus e dos adventistas. Mas para a torcida coral das bandas do Arruda é dia de ir ao Mundão e celebrar, mais uma vez, nossa paixão pelo Santa Cruz.

Os povos pagãos dedicavam o sábado ao deus Saturno, daí a palavra Saturday em inglês. O famoso sabbath das bruxas é derivado do hebraico Shabat, indicando a forte onda antijudaíca da época.

Seja lá como for, esse sábado é dia de muita mandinga para que o Santinha possa vencer o ASA. É preciso evocar Goya e Osman Spare para que os rituais de vitória da torcida coral possam dar certo.

Temos que ser sinceros: aquele jogo contra o Lagarto foi uma negação. Muito ruim. Kléver nos salvou mais uma vez. E isso para quem conseguiu acompanhar. Série D é surreal. A galera se alvoroçou quando disseram que aquele jogo seria transmitido pela InStat TV. Todo mundo saiu correndo feito doido para se inscrever no streaming. E o que descobrimos? Era, na verdade, a InStante TV.

A transmissão parecia ser feita por um maluco filmando da lua e só durou uns poucos instantes. Espero que a direção do clube resolva isso nos próximos jogos.

Mas sábado – ah, sábado, meus amigos e minhas amigas – é dia de Arruda. Ir tomar uma no posto, migrar para Abílio e depois entrar em campo, comer o melhor cachorro-quente do planeta e vibrar, fazer a diferença e empurrar o time para cima dos alagoanos.

E vai ser preciso muita garra. O ASA surpreendeu dando uma lapada no favorito Atlético. É para ficar ligado, pois não vai ser nada fácil essa parada. E isso em meio a uma reformulação geral no elenco, salários atrasados dos funcionários e um marketing que puta que pariu…

A boa notícia é a possibilidade do Santinha embolsar 260 mil como resgate referente à transferência de Gilberto para o Toronto. Bora torcer e pagar a galera, meu filho. Assim não dá.

O lado bom da história é que sábado estaremos lá no Mundão. Por isso, cara torcedora, caro torcedor, vamos ajudar o Mais Querido. Sabemos como a presença da torcida é um diferencial enorme. Ela tem o dom de elevar a moral do time, abastecer os atletas com garra e determinação – e isso por mais perronha que o caba seja.

Que o sabbath das bruxas – com a trilha sonora do Black Sabbath – nos dê mais uma vitória.

Avante, meu Santinha!

Author: Zeca

Zeca é professor doutor em Filosofia da UFRPE. O amor pelo Santa Cruz vem de berço. Aos cinco anos o pai já o levava ao Arruda. Escritor e poeta, tem diversos livros publicados. É metaleiro e é baixista e vocalista na banda Agelon de Brutal Death Metal. Mora na Boa Vista e sente muito orgulho de estar sempre perto do Pátio da Santa Cruz.

Share This Post On

5 Comments

  1. Esse articulista mistura muita cultura e emoção.
    Tem que ser forte, coisa de tricolor.
    Daqui do Cerrado, estarei torcendo e na expectativa que apareça uma transmissão, seja de Saturno, Lua, do Mundão….
    Abraço forte

    Post a Reply
  2. A torcida faz a diferença mesmo.

    Post a Reply
  3. Vou caçar alguma transmissão pelo Youtube aqui de João Pessoa, contra o lagarto foi a narração mais louca, bizarra de uma rádio deles só valeu pelos comentários engraçados que o pessoal postava só rindo para aguentar a narração e o jogo.

    Post a Reply
    • A Rádio Jornal faz a transmissão também pelo Youtube, Márcia. De primeira. E li hoje que a Instat TV vai corrigir os erros da transmissão da Série D a partir desse sábado. Vamos torcer que melhorem.

      Post a Reply
  4. Pois bem, amigos… o fundo do poço está aí e os “dinos” estão no poder novamente. Difícil acreditar. Mas é a paixão por este clube que mantém a chama acesa. Saudações tricolores.

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *