Show de horrores.

Pode-se dizer que, nessa Sére D, o Santa Cruz está vivendo um verdadeiro show de horrores. É como se pudéssemos juntar em uma produção cinematográfica Christopher Lee, Peter Cushing e Vicent Price com Segurado, Leston Jr. e Dudu Mandai. Os títulos poderiam ser: “Terror na Av. Beberibe”, “O satânico Doutor ALN” ou  “O exorcismo do ProSanta”.

O nível técnico do Santinha é assombrosamente ruim. A camisa mais pesada da competição possui o time mais aleatório e desencontrado que poderíamos imaginar em nossos piores pesadelos.

Como se essa galeria digna de filme de terror não acabasse por aí, ainda temos a transmissão dos jogos pela InStat TV. Vocês perceberam que os narradores não sabem os nomes dos jogadores? “Cruzou a bola”, “lançou na área”, “fez o corte”… quem fez isso, porra? Incrível.

A salvação, como sempre, é a galera de Marcelo Araújo na Rádio Jornal. O rádio é eterno. O problema é que não há sincronia entre a transmissão horrorosa da InStat TV com o tempo do rádio. E ainda vão cobrar a partir do quarto jogo de cada time. Tá fácil pagar por uma desgraça dessas.

Mas, pasmem, o espetáculo do capeta segue seu desfile. Decidiram convocar uma AGE no Dias das Mães e em dia de jogo do Santinha. O castelo de Drácula perde diante das maquinações malignas dessa galera. Meu voto será NÃO, NÃO E NÃO. Querem dar poder absoluto ao rei.

O pior ponto dessa votação será a questão da SAF. Um tema tão delicado desses tem que ser decidido coletivamente. Não é aceitável que uma única pessoa, o presidente do clube, tenha poderes para gerir uma mudança tão radical dessas – e isso independente se você é a favor ou contra a SAF.

Meu grande receio é que a dimensão política do futebol, ou seja, a participação direta da torcida no destino de seu clube do coração possa, de um dia para outro, se transformar em mera relação comercial, financeira.

A situação é grave. Leston Jr. já deu, de boa. Não dá mais. Segurado também já deu. Estamos navegando em um mar cheio de perigos. Como diz a faixa da Inferno no CT: Subir é obrigação! Estamos muito fudidos, é verdade. Porém, o capital tricolor coral de mais valia, sua torcida, é foda demais. É nossa tábua de salvação, a saída da Matrix ou do Hades.

Domingo, como todo louco torcedor do Mais Querido, estarei no Arruda. Meu otimismo contumaz está se esvaindo. Vamos lá ver ao vivo esse enredo que deixaria Mário Bava, Stephen King ou Hitchcock de cabelos em pé.

Mas vamos lá. Essa paixão nos impulsiona e estaremos sempre ao lado do Santa Cruz Futebol Clube, seja em um filme de comédia, drama ( e sabemos bem o que é isso), aventura ou terror (como estamos vendo agora).

Que o espírito de Edgar Alan Poe nos auxilie. Que Clive Barker nos ilumine e Ctchulu nos retire dessas profundezas.

E salve meu Santinha!

Author: Zeca

Zeca é professor doutor em Filosofia da UFRPE. O amor pelo Santa Cruz vem de berço. Aos cinco anos o pai já o levava ao Arruda. Escritor e poeta, tem diversos livros publicados. É metaleiro e é baixista e vocalista na banda Agelon de Brutal Death Metal. Mora na Boa Vista e sente muito orgulho de estar sempre perto do Pátio da Santa Cruz.

Share This Post On

4 Comments

  1. Eu não sei nem o que falar desta situação….

    Post a Reply
  2. Hoje é ganhar ou desespero.

    Post a Reply
  3. ufa!! ganhamos mas os gols que levamos pelo amor…..

    Post a Reply

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *